quarta-feira, 10 de maio de 2017

Dia das Mães - Relatos e vivências

Luiza Pralon relata sua experiencia sobre o tema: 

O que é Ser Mãe?


      O dia das Mães me remete a todas estas mulheres guerreiras, que com coragem enfrentam os desafios cotidianos para garantir pelo menos o básico para a sua família.

Sabe-se que hoje é grande o número de famílias chefiadas somente por mulheres, onde as mesmas fazem o papel de mãe e pai, chefe de família e provedora do sustento e do bem-estar.

Dia das mães me faz entrar em sintonia com todas as mães que decidem ter filhos, todos os filhos que convivem com a ausência de suas mães, com todas as mães que choram a perda de seus filhos e todas as mulheres que decidem não serem mães e que temos o dever de respeitá-las em suas escolhas. 


 

Dia das Mães - Relatos e vivências

Maria José Silva relata sua experiencia com o tema:

O que é Ser Mãe?

Para mim ser mãe, é uma experiência de descobertas, ver a materialização do sentido de amar, que se transforma em uma troca, onde se aprende enquanto se ensina. 

Ser mãe é partilhar a vida com outra vida, é viver de fases e se superar em cada uma delas, chorar com a dor de um filho e querer trocar de lugar com ele, e sorrir por cada conquista por menor que seja, e sonhar com o melhor a cada dia, viver o prazer de ser mãe como um dom.





Dia das Mães - Relatos e vivências

Janilde Diniz Relata sua experiência sobre o tema: 

O que é ser mãe?

Ser MÃE é entender que habita dentro de mim uma força vital múltipla. Uma vontade de seguir em frente, usando a inteligência, coragem, sensibilidade. Todas essas qualidades e desejos estão dentro de cada mulher que também é mãe. Que batalha por dias melhores para si e por seus filhos.
Mulheres que muitas vezes se encontram em algumas situações onde exigem delas uma postura de entrega total. Pensemos em mães que se encontram em presídios longe de seus filhos, sem poder acompanhar o crescimento e educação dos mesmos. Como essas e outras situações vão interferir neste ser mãe, ser educadora, ser geradora de vida.

Destacamos neste texto a pesquisa: “Dar à luz na sombra”, a equipe coordenada pela professora Ana Gabriela Braga detectou uma divisão nas opiniões das mulheres encarceradas grávidas ou que têm filhos na prisão. O estudo – que não é quantitativo – deixou claro que parte das detentas desejava manter as crianças no presídio, ao lado da mãe, enquanto outras preferiam a separação para que os bebês ficassem longe do ambiente da cadeia. O trabalho indicou que entre as duas opções mais frequentes no atual sistema penitenciário brasileiro ambas são vistas como “menos ruim”. “O direito à educação e ao trabalho não é garantido a todas as detentas, não há separação de unidades entre presas provisórias e condenadas e o tempo legal de garantia de permanência das mães com suas crianças não é respeitado”, prossegue a pesquisadora. “O prazo mínimo de seis meses na prática é um prazo máximo, porque é preciso esvaziar espaços para os recém-nascidos.” Na ausência de creches, os bebês são mantidos nas celas com as mães. Quando a criança é tirada da prisão, segue para abrigos ou é entregue a familiares, em geral à avó. 


Fica uma pequena reflexão para este dia tão especial que é dedicado e celebrado o Dia das Mães. Poder homenageá-las nas situações onde elas se encontram. Um pequeno trecho do poema de José Guilherme S. Filho nos reporta a todas essas mulheres que são mães.

“Tu que nos guardaste em teu ventre aquecido e do mundo fomos protegidos...

Tu que nos trouxeste para a vida, o que mais poderíamos querer?
Nos deste um cantinho dentro de ti e já crescidinhos nascemos para te conhecer...
Em teus braços fomos acalentados com teu amor e dedicação.
Nosso coração por ti, todos os dias acariciado...
Te conhecer por fora é só uma forma de nos fortalecer para o mundo,
 mas o que há de mais profundo vem do teu íntimo Ser...”

quinta-feira, 27 de abril de 2017

Dia 28/04 - Greve em Defesa dos Direitos das/os Trabalhadoras/es

Dia 28 de abril é dia de dizer não a todo retrocesso com relação aos direitos de todas/os nós trabalhadoras/es.


O Projeto Antonia Se une a esta luta!






segunda-feira, 24 de abril de 2017

A mulher e o mercado de trabalho: algumas reflexões para o Dia do/a Trabalhador/a

   No dia 1º de maio comemoramos, no Brasil e em vários países do mundo, o Dia Internacional do\a Trabalhador/a. Essa data tem um significado de luta de trabalhadores/as que em, 1º de maio de 1886, em Chicago (EUA), se manifestaram por melhores condições de trabalho, entre elas a redução da jornada de trabalho. Nesse dia, aconteceu uma greve geral dos trabalhadores/as, que terminou em violência e morte de manifestantes.


Ao celebramos essa data, é importante pensarmos na luta da classe trabalhadora, fazendo um recorte importante sobre a presença de mulheres na força de trabalho, que vem aumentando, significativamente, nos últimos anos. Apesar desse fato, ainda podemos perceber que a presença da mulher é fortemente marcada pela discriminação e superexploração. A ideologia machista assinala essa discriminação quando define carreiras e funções próprias para a mulher, desvalorizando suas tarefas e diferenciando os níveis salariais entre homens e mulheres, que mesmo quando tem mais anos de estudo, tem salários em média 30% menor que os homens, e são os primeiros alvos de rebaixamento de salários e demissão (Silva, 2009).

quinta-feira, 13 de abril de 2017

PÁSCOA

A palavra Páscoa vem do hebraico, Pessach que, significa “passagem”. Os antigos hebreus foram os primeiros a comemorar a Páscoa. Para eles, historicamente, ela celebra a libertação do povo hebreu da escravidão do Egito. Livres, passaram a formar um povo com uma religião monoteísta. É com o sentido de libertação que, até hoje, os judeus celebram esta festa.

quinta-feira, 6 de abril de 2017

DIA MUNDIAL DO COMBATE AO CÂNCER

Nessa data de sensibilização para combate ao câncer, nos deparamos com uma realidade assustadora em geral, e para as mulheres é ainda mais alarmante, pois a estimativa dos índices de mulheres com câncer é superior ao dos homens; segundo o Instituto Nacional de Câncer (INCA) a estimativa para 2016/2017, no Brasil, foi de:

“Entre os homens, são esperados 295.200 novos casos, e entre as mulheres, 300.870”.  (Grifo nosso)

Os índices apresentados pelo INCA e as estimativas, tem o propósito de alertar para a prevenção, a exemplo do câncer de pele, tem maior incidência entre homens e mulheres.
É importante saber os tipos de câncer já identificados as e as formas de prevenção, pois com as informações e orientações necessárias é possível participar da luta contra o câncer.
O INCA também apontou a estimativa de câncer com maior incidência entre as Mulheres:

“Entre as mulheres, as maiores incidências serão de cânceres de mama (57.960), cólon e reto (17.620), colo do útero (16.340), pulmão (10.860), estômago (7.600), corpo do útero (6.950), ovário (6.150), glândula tireoide (5.870) e linfoma não-Hodgkin (5.030)’.